28.3.05

O Mais Duro IV




ARNOLD SCHWARZENEGGER

Decorria o ano de 1947, quando Aurelia deu à luz um saudável rapaz, no belo território de Graz, na Austría. Arnold Alois Schwarzenegger, assim denominado o fruto do ventre de Aurelia, era o orgulho de seu pai Gustav, um suposto nazi que para muitos não era mais do que um simples homem de família.
Aos quinze anos e desiludido com o futebol, Arnie dedicou-se à musculatura, tornando-se aos vinte anos, campeão universal da coisa. (Vencendo milhares de concorrentes de outros planetas, portanto).
Começou a sua carreira cinematográfica com o filme "Hercules in New York" (também conhecido como "Hercules Goes Bananas") onde fazia o papel de um matrapázio sensível e ingénuo e no qual a sua voz foi dobrada.
Mas foi com "Conan" e a devida sequela, que começou a ser um duro a sério. O facto de falar mal e porcamente a língua inglesa, fez com que as poucas frases q dizia nos filmes se tornassem memoráveis. Sendo exemplo disso o "I´ll be back" de "Terminator", filme onde tem apenas 17 falas, uma das quais é repetida duas vezes.
Schwarzenegger é sem dúvida um dos mais duros, pois tem no currículo filmes como"Commando", "Predator", "Terminator 2" (o 3 ninguém viu, e também não conta porque é uma versão série B do 2), " Last Action Hero", e "Batman & Robin", nos quais é duro e duro e duro...
Mas como não há bela sem senão, certamente que o mesmo se aplica a este monstro (considerado pelo Livro do Guiness, como o ser humano mais bem desenvolvido e lá se foi a reputação do livro!). E que senão é esse? - pergunta que ecoa na sua mente, neste preciso momento. Pois bem, não é apenas um, mas vários e que são conhecidos no vídeoclube da minha rua como "Gémeos" (de novo o Danny DeVitto), "Júnior" (este é o mais grave, pois duro que é duro, não engravida) e "Um polícia no jardim escola" (que nem sei o que diga em relação a este).
Arnold ainda se esforçou por voltar ao papel de duro, mas eu nem tive paciência para lhe dar outra hipótese. Vingou a família dando cabo duns terroristas, lutou contra a obra do diabo, ou que raio era aquilo, teve umas cenas com uns implantes ou não sei quê, mas eu não lhe liguei nenhuma.
Devo confessar que também não me impressiona a sua carreira na política ou no negócio da restauração.
Afinal de contas, não é por ser contra ao facto da sua mulher usar calças, que faz dele um duro. Lamento sr. Governador, mas estas eleições não ganha...

3 comentários:

Anónimo disse...

Excelente texto :D
Roubei-o para aqui:


http://www.livejournal.com/users/dentrodeti_oh/


Moira Encantada

Anónimo disse...

Enjoyed a lot! »

Anónimo disse...

Keep up the good work » » »