16.3.05

Golfe

Chegou-me às mãos uma carta da autoria do senhor Silvio Alves, praticante amador de golfe e um verdadeiro gentleman, que nos relata uma situação que gostaria de ver comentada, e que passo a citar:


"Prezados senhores,
Depois de muitos anos a jogar golfe, foi confrontado com uma situação extremamente desagradável e constrangedora. Passo a explicar: Numa bela tarde de 2ª feira, dia 06 de Maio, iniciei uma partida de golfe acompanhado por um casal amigo de origem Belga (ele Hcp 18 e ela Hcp 16), que vieram a Portugal participar numa reunião cientifica.
Até ao buraco 3, tudo bem e todos muito bem dispostos, altura em que ao preparar a 2ª pancada, começamos a ouvir "gritos" provenientes do Tee do buraco 3, como a insinuar jogo lento . Mas ao tentar perceber o que se passava, realizamos que se tratava de um "jogador sozinho" tentando forçar a passagem!!! Sabendo nós que um jogador que está só, não tem qualquer prioridade num campo de golfe, sendo assim, continuamos a jogar (até porque não se tratava de jogo lento ou bola perdida, apenas uma formação de 3 jogadores realizando um jogo normal).
No buraco 4 - par 3 - Quando aguardávamos a realização da pancada da nossa parceira (com 2 belas pancadas e bolas no green), eis que surge intempestivamente junto ao Tee das senhoras um "senhor" com ar arrogante e tentando novamente ultrapassar a nossa formação. A nossa parceira realizou a sua pancada bastante incomodada com a situação.
É evidente que numa situação cordial e amigável esta passagem seria de imediato autorizada como tenho feito sempre que isto acontece. Mas, dada a atitude pouco simpática do tal "senhor" a ultrapassagem NÃO FOI AUTORIZADA, caminhamos para o fairway a caminho do green.
Para nossa SURPRESA e ESPANTO demos conta que o tal "senhor" tinha realizado a sua pancada e a bola acabara de passar sobre as nossas cabeças indo cair na parte posterior do green!!! Espantados e chocados com tal atitude, aguardamos a presença do mesmo junto ao green e demonstramos toda a nossa indignação em relação à sua atitude.Como podem imaginar, o diálogo foi bastante desagradável e muito pouco simpático.
Quando indagado sobre a razão de tal atitude, MENTIU dizendo que o meu amigo tinha autorizado a sua passagem... Quem com um mínimo de lucidez autoriza a passagem e imediatamente se mete a caminho de um green, sobretudo tratando-se de um par 3 ???
Neste momento já apresentei uma reclamação à Direcção do meu clube e aguardo uma resposta. No entanto gostaria de saber qual a vossa opinião sobre o acontecimento e qual a atitude que deveria tomar para que tal não voltasse a acontecer. "
Ao supraciatado senhor, tenho os seguintes conselhos a dar:
  1. Não diga que joga golfe à segunda-feira, porque isso é gozar com os que trabalham.
  2. Não utilize a expressão casal amigo, por certas e determinadas razões.
  3. Invente uma desculpa melhor do que "reunião científica" para jogar golfe.
  4. Um cavalheiro não faz referência à "pancada" da sua parceira "com 2 belas pancadas e bolas no green". Não é de bom tom.
  5. Intempestivamente é um advébio de modo, que por razões óbvias, não se aplica à terminologia dum desporto como o golfe.
  6. A situação que descreveu, aconteceu fora do "fairway", logo as regras de "fairplay" não são válidas.
  7. Tem de considerar a possibilidade do "senhor" que refere, ser leiloeiro e ter intepretado algum tique de mão do seu parceiro como um sinal de autorização.
  8. Não sejas queixinhas, aprenda a resolver as situações da vida à homem!
  9. Para a próxima vez que se deparar com uma situação semelhante, bata com uma luva no seu opositor , desafiando-o para um duelo. Ele terá o direito de escolher o caddie padrinho e o número do taco a usar como arma.
  10. A melhor atitude a tomar, de modo a evitar que tal situação volte a acontecer é DEIXAR DE JOGAR GOLFE!

3 comentários:

Anónimo disse...

Enfiar o club num sítio que a gente sabe, também não seria má ideia, sr. Alves!

Anónimo disse...

Fale mais do que você gosta

Orange disse...

Isto é genial!
Hehehehehe