3.5.06

Por Caminhos Pecaminosos II

Estamos sempre a aprender ao longo da vida e quando se está muito tempo por dia na net, isso então é uma constante. Ontem, por exemplo, estava eu descansadamente a surfar quando deparei com a palavra “chapeiro”. Sendo que português não a minha língua materna, perguntei aos meus colegas do trabalho o seu significado. Ninguém sabia. Ainda sugeri que podia ser uma alguma profissão ligada a chapinhar na água. Uma pessoa que fabrica ou que restaura chapéus é chapeleiro.
Fui ver então ao dicionário e é uma pessoa que trabalha a chapa de carros, vulgarmente conhecido com bate-chapas.
Na net descobri este site interessante sobre o assunto. É o site do Paulo, um jovem chapeiro, que tem muito orgulho na sua arte e onde podemos ler que, além de muita prática, são precisas três “coisitas” fundamentais para ser chapeiro, a saber:

- HONESTIDADE
- PERFEIÇÃO
- CRIATIVIDADADE

É bonito. Ser chapeiro deve ser algo como pertencer a uma seita misteriosa, ser um jedi ou templário.



6 comentários:

sacrilegius disse...

Havia templários chapeiros.
Outros templos ... outros templos.
Eram templos de miséria, templos em que as pessoas chapeiravam os próprios carros.
Quanto a jedis, desconheço.
Não é que saiba grande porra sobre chapeiros ou templários.

floca disse...

vê-se logo que não és do norte carago!

sacrilegius disse...

Onde é o norte carago ?
Agora fiquei desnorteado.

Pedro disse...

Não tenho qualquer tipo de respeito por ocupações profissionais que acabem em “eiro”. “Eiro” é terminação de árvore, caraças! Não de ocupação profissional!

João disse...

Eu não gosto é de actividades de pessoas cujas as denominações começem por "pane". Como por exemplo, panejador, que é aquele que levanta e agita o cereal com o fim de debulhá-lo.

Pedro disse...

Ora nem mais. É esse e o paneiro, isto é, aquele que estende os toldos debaixo das oliveiras durante a apanha da azeitona.