3.6.07

Não à Ota, não à Portela!


Pouca gente sabe que aqui na redacção do GM, também debatemos assuntos sérios e não estamos sempre na galhofa! Muitas vezes também falamos sobre coisas sérias como a fome no mundo, a guerra, a economia global, o desemprego, doenças mortais ou mesmo Deus, sem nos rirmos uma única vez. Até já discutimos se o aeroporto deve ou não sair de Lisboa.

A nossa resposta é sim e não. Achamos que o da Portela tem que ser desmantelado, mas que por outro lado também não se deve construir um novo aeroporto. Vou ser mais claro: pensamos que se deve simplesmente proibir aviões em Portugal.

"Que disparate!" - dirão alguns de vós leitores. Estão no seu direito de o fazer, mas antes de julgar a malta do GM, vou ser mais específico e explicar melhor a nossa ideia.
Toda gente sabe que um avião polui muito, mesmo muito. E só para sublinhar isso, vou meter aqui alguns factos verídicos, que nós não inventamos, mas que tirei simplesmente da net:
  1. A subir, um Boeing 747 gasta um galão (uma medida Inglesa) de combustível por segundo.
  2. Em cinco minutos um Jumbo queima a produção de oxigénio de um dia de 44.000 acres da floresta amazónica
  3. Um avião gasta tanto combustível por ocupante, como se cada um deles andasse sozinho de carro.
Pois é, meus senhores e senhoras, a poluição dessas máquinas é de facto preocupante, e além disso também há a chamada poluição sonora que é muita chata também. Nós pensamos então, que Portugal devia ocupar outra vez o seu papel de pioneiro, tal como já foi nos tempos de descobrimentos e banir simplesmente os aviões do seu espaço área. E é exactamente nos descobrimentos que fomos buscar a alternativa para os aviões: a caravela. Vamos sim, instituir outra vez, a gloriosa caravela como meio de transporte oficial Portuguesa. Este sim é um meio de transporte que não polui. Alguns vão dizer, é verdade sim senhor, não polui, mas leva imenso tempo para chegar ao destino.

Também reflectimos sobre isso, meus caros, e pensamos numa caravela para o século XXI. Aqui em cima podem observar esse nosso projecto ultra-secreto que tem o nome de Caravelim (é uma mistura de caravela com zepelim).

Acabaram-se os problemas com poluição e espaço para aeroportos. Em deriva desta esplendorosa ideia, tivemos logo mais uma visão para Portugal que é nem mais, nem menos que; transformar o pais inteiro no maior parque temático do mundo. "Portugal: the discoveryland!" Acabamos logo com os Disneylandias e outros do género, porque o que não falta aqui é ratos Mickey e patos Donaldo.
Enfim, voltaremos a falar acerca disso, numa próxima vez...

7 comentários:

João disse...

Eu não sabia que o Bartolomeu de Gusmão, o inventor da passarola, também fazia parte do GM...

Mat disse...

Nós somos tipo a maçonaria, João...não sabias isso? Há mais gente que faz parte do que tu penses...

Headache disse...

Reúnem-se todos e vestem aventais também?

João disse...

Eu quando vou a um café, ou assim, é que chamo o marçon para me atender e trazer a a conta. E por acaso até há uns que têm uma espécie de aventais, sim senhor.

Izzy disse...

Detesto rebentar a vossa bolha mas parece que isso ja foi tentado e os resultados foram catrastoficos e coiso.

pita da vespa disse...

Quem é que é o gajo no cantinho da foto?

João disse...

Mais importante é perceber se aquilo que se vê por cima duns telhados a brilhar é farol para orientar os caravelins ou se é apenas para coisar melhor a fotografia. É que se for um farol, obviamente que o individuo no canto da fotografia é o faroleiro. Julgo que é obvio e até um pouco lógico.