13.4.07

Sócrates afinal não é licenciado coisa nenhuma



José Sócrates admitiu não ter concluído a sua licenciatura em Engenharia Civil, na Universidade Independente, “com aproveitamento”.

Foi no final do dia de ontem numa conferência de imprensa de última hora com os principais órgãos de comunicação social, que o Primeiro-Ministro José Sócrates anunciou que o seu diploma em Engenharia Civil não é válido.

Após ter afirmado que em questões de engenharia “só sei que nada sei” e apesar de não ter apresentado qualquer tipo de explicações que justificassem a sua situação, José Sócrates fez questão de salientar que as suas habilitações académicas não interferem em nada com o desempenho do seu cargo, visto que teve “uma quarta classe das antigas e que, como toda gente sabe, vale muito mais do que esses cursos superiores que para aí andam”.

Deixou ainda um desafio a todos os portugueses que ainda possam ter dúvidas em relação às suas competências, para que lhe perguntarem o nome de um qualquer rio de Portugal continental ou ultramarino, o nome e cognome dum rei português, duma qualquer dinastia, ou até mesmo qualquer uma das tabuadas, incluindo a do sete e a do nove. Afirmou ainda que consegue fazer, sem contar pelos dedos, todas as contas de somar, subtrair, multiplicar ou dividir, desde que não tenham mais do que duas casas decimais ou que o resultado não sirva para cálculos de estruturas de pontes e viadutos.

António Guterres, antigo Primeiro-Ministro e licenciado em engenharia, considerou estas declarações do actual Primeiro-Ministro como “umas bocas indirectas completamente desnecessárias e foleiras” e sublinhou ainda que “apesar de eu não saber fazer contas, ao menos ainda sei fazer de conta”.

9 comentários:

Mat disse...

Eu cá acho que o primeiro-ministro e o resto da malta do governo, deviam ser verdadeiros representantes de Portugal. Ou seja deviam ser licenciados, não em engenharias e direitos, mas sim na pesca de sardinhas, na apanha da uva, na descodificação d´A Bola ou na nobre arte de fazer pastéis de nata.

esquizoide frenica disse...

Pois é isso mesmo, uma licenciatura na bela arte de fazer queijo limiano, na arte de virar a casaca ou alternar...

Mat disse...

Um doutoramento em calcetagem também era algo com classe.

Sá Dragão disse...

Eu discordo. É óbvio que o Sócrates concluiu a sua licenciatura "com aproveitamento". Com aproveitamento da sua influência para conseguir equivalências, para que assinassem um diploma antes de sair a última nota. Não contentes ainda lhe assinaram um outro diploma. Parece que até assinaram aquilo num Domingo... E não é só isso. Até os profs do "Sócas" tiveram "aproveitamento" no governo. Foi um festim.

João disse...

"Eu discordo"!? Até parece que isto é um artigo de opinião. É notícia pá, daquelas falsas! Ok?

Headache disse...

sá dragão, quanto às datas remeto para este meu post:

http://ganhepesoagora.blogspot.com/2007/04/scrates-uni-e-as-datas-mgicas.html


Até eu tenho umas datas duvidosas no meu certificado, e fiz tudo como mandam as regras, tudo na sua época etc etc etc.

Me Hate disse...

Cre-me que isso é mais alguém com má lingua... Daqui a nada andam por aí a dizer que o tipo é gay... Pois, pois!!!!

enxofre disse...

Este gajo queria ser ministro... para isso precisava de uma licenciatura. "Nada de especial, compra-se uma", pensou. Só não se lembrou que se o poder político ia piar fininho porque quase todos fizeram (e fazem) o mesmo, já outros não se importam de usar o que quer que seja para o denuciar... Como é o caso da Sonae lá do Norte, que o fodeu bem por ele ter travado a OPA.

É muito bom ter um jornal!

enxofre disse...

...sendo assim, cá está o primeiro-ministro perfeito para a portugalândia!