15.9.06

Rádio Gémeo Malvado: Drogas



Olá criançolas, como está aí o regresso às aulas e a escola não é mais do que um antro de droga, trago-vos uma playlist com músicas que têm nomes de drogas. Até porque se fossem apenas músicas que no seu título referissem drogas, nunca mais sairíamos daqui, pois são imensas. Aliás, até desconfio que são todas acerca de droga, sobretudo no universo do rock. Todas falam de drogas ou de amor, e o amor é uma droga e aleija. Por isso, vai tudo dar ao mesmo.
Em vez de vos falar das músicas e dos seus autores, decidi fazer um útil guia acerca das substâncias, pois a uma dada altura das festas o tema "Drogas" acaba sempre por surgir e temos que mostrar que não "semos" burros nenhuns. Mesmo em casamentos e bapitzados.

The Tiger Lillies - Heroin & Cocaine
Ao consumo simultâneo de Heroína e Cocaína dá-se o nome de “speedball”. É das misturas mais letais: a cocaína aumenta a batida cardíaca mas o seu efeito é bastante mais passageiro do que o da heroína, que por sua vez reduz o ritmo cardíaco. Ou seja, fica-se aparentemente na mesma. Na verdade, isto pode resultar numa overdose atrasada. Digamos que o efeito da cocaína faz com que a overdose de heroína perca o autocarro e tenha que vir a pé. O termo “speedball” também pode ser aplicado a qualquer mistura de uma droga opiácea com uma estimulante. Eu cá prefiro chamar a estas misturas o “panaché” da malta realmente fixe.
E perguntam “vosselências”: “Malta fixe!? Mas quem?” Pois bem, eu respondo: os actores John Belushi, Chris Farley, Diogo Infante Morgado e River Phoenix, o comediante Mitch Hedberg, Layne Staley dos Alice in Chains, todos eles foram encontrados mortos devido aos “speedballs”. Dizem que o Jim Morrisson também foi vítima deste cocktail letal, no entanto continuo acreditar que a morte dele se deve ao esquentador que tinha instalado na casa-de-banho. Dave Gahan, dos Depeche Mode, sofreu um ataque de coração depois de ter tomado um “speedball” e de ter percebido que o seu albúm a solo não valia nada.


The Velvet Underground - Heroin
A heroína foi criada em laboratório, durante a busca de substituto seguro para a morfina. Em 1898, o Laboratório Bayer, na Alemanha, anuncia ter encontrado a diacetilmorfina, três vezes mais potente que a morfina. Devido à sua potência, a Bayer deu-lhe o nome de heroína. Hoje está provado que a heroína vicia ainda mais que a morfina. Geralmente injectada, modera as emoções e provoca sensação temporária de bem-estar. De certa forma, é como a grade dos recintos dos concertos, que modera as emoções fortes das multidões, e dá a temporária sensação de bem-estar quando nos sentamos nela.
O consumo de heroína desenvolve a percepção do espaço, daí que os seus utilizadores se tornem em exímios arrumadores de carros. A ressaca disto causa diarreias e vómitos fortes, sempre nas piores alturas. Também dá para morrer de sede.


Marcy Playground- Opium
O ópio vem do Oriente. O ópio vem dos campos em flôr. O ópio vem das papoilas, não das vermelhas, mas das brancas. O ópio é a religião do povo! O ópio dá vontade de escrever poesia:

“É antes do ópio que a minh' alma é doente.
Sentir a vida convalesce e estiola
E eu vou buscar ao ópio que consola
Um Oriente ao oriente do Oriente.”

Fernando “Pessoas”


“Que droga foi a que me inoculei?
Ópio de inferno em vez de paraíso?
Que sortilégio a mim próprio lancei?
Como é que em dor genial eu me eterizo?”

Mário de Sá Carneiro


Cibo Matto - Marijuana
Produz efeitos físicos e psíquicos de forma aguda ou crónica, olhos avermelhados, boca seca, aceleração do coração e vontade de rir. Basicamente, é o mesmo que beber uns goles de querosene, subir uma ladeira a correr e enfiar a cabeça num fumeiro. Pode também provocar calma e relaxamento ou angústia e tremores, por vezes tudo isto ao mesmo tempo. Altera as percepções de tempo e distância, e do “eu interior", com prejuízos da atenção e da memória, a chamada burrice. Com o uso prolongado pode baixar a produção de espermatozóides, sobretudo nos homens, a diminuição da resistência às infecções, interfere na capacidade de aprendizagem e memorização, levando a um estado de falta de motivação. Em pessoas filhas de uniões consanguíneas, favorece o aparecimento de doenças psíquicas e de pêlos nas plantas dos pés.


Sly & the Revolutionaires - Cocaine
A cocaína produz euforia, sensação de poder, sensação de brilho, estado de excitação, hiperactividade, insónia, falta de apetite e perda da sensação de cansaço. Pode ainda produzir dilatação das pupilas, aceleração do coração, degeneração muscular, ansiedade, mudanças de ânimo e humor, pânico, pensamentos paranóicos, irritabilidade, agressividade, inquietação, crises convulsivas, respiração rápida e irregular podendo ocorrer a morte por overdose. Só coisas boas portanto.
É uma droga cara, e por isso as pessoas consomem-na muitas vezes em espelhos, para parecer que há mais quantidade do que realmente há. Fazem-se inaladores com notas enroladas, mas depressa se passa para os tubos de P.V.C., daqueles das obras, pois as notas começam a estar em falta, e a depedência começa a exigir quantidades maiores.
Há uma versão "roscoff" da cocaína, que se chama crack, e que é basicamente restos da pasta de cocaína misturados com bicarbonato de sódio, aquilo que os espanhóis usam nas tortilhas.


Michael Jackson - Morphine
A morfina é a mais conhecida das várias substâncias existentes no pó de ópio. A palavra morfina vem do deus da mitologia grega Morfeu, deus dos sonhos. Foi isolada em 1806, sendo uma das mais potentes drogas analgésicas.
Após a constatação das desastrosas consequências do seu emprego, a morfina e os monstros de Frankenstein foram relegados para um plano secundário da medicina. A morfina só está disponível em algumas situações médicas onde se impõe o uso de um analgésico potente (como cancro, queimaduras extensas, grandes traumatismos e ronha crónica).
Os seus efeitos são variados, tais como: a contracção muscular, a vasodilatação com calores na pele, o prurido cutâneo, ansiedade, alucinações, pesadelos, vómitos, o aumento do tonos dos esfíncteres (mais uma bela palavra-chave para trazer visitas a este blog) do tracto gastrointestinal, "pedra na vesícula” e retenção urinária.


Beck - Alcohol
O álcool etílico ou etanol é um líquido volátil sem cor e com odor e sabor característico, produzido pela fermentação de frutas, cereais ou hortaliças. O álcool é a droga mais consumida, pode provocar vários tipos de problemas no estômago, fígado, pâncreas, rins, coração, cérebro e provocar várias doenças mentais - sobretudo na cabeça - tais como irritabilidade constante, e depressão.
Com o uso prolongado a pessoa pode desenvolver dependência química de natureza compulsiva e excelentes capacidades de condução nocturna de viaturas em contra-mão sem necessidade de uso dos faróis. A pessoa sob o efeito do álcool modifica seu comportamento, diminui os reflexos, tem dificuldade em andar, falar, e pensar. No entanto, consegue encontrar beleza em camafeus e dançar como se não houvesse amanhã.
Diz que uma pequena quantidade de álcool não prejudica, e até pode diminuir o colesterol. Mas quem beber pequenas quantidades corre o risco de ir aumentando as doses e se tornar alcoólico e perder tudo de bom que tem na vida. É uma questão de opções, lá está.


Rammstein - Benzin
A benzina é um derivado do “petroil” e é uma droga inalante. Estes tipo de droga funciona como depressordo sistema nervoso central e geralmente apresentam-se na forma líquida, e liberta vapores. Os seus efeitos são euforia, excitação, relaxamento, lapsos de memória, alucinações, tonturas, náuseas, vómitos, e o bem-estar.
Os riscos do seu consumo passam por convulsões, ataques cardíacos e o contacto com o líquido pode causar queimaduras na pele e no interior dos órgãos. No entanto, é das melhores drogas para se usar na limpeza manchas de tinta e tirar o verniz das unhas.


Jackson Browne & Warren Zevon - Cocaine
Caso sejam chonés, e já não se lembram do que leram há uns segundos, voltem lá a cima. Ah! E já agora, deixem a droga...


New Order - Ecstasy
A batida seca da bateria, hipnótica, ruídos, uma nave extraterrestre, as luzes fortes, e cítricas, alternam vibrantes e fluorescentes, malabaristas mascarados, círculos de fogo, pequenos bastões de neon verde, uma tenda de circo, fumo colorido. Está visto... é uma rave.
O ecstasy é a droga das raves. Provoca a dilatação da pupila dos pastilhados, as luzes ganham um brilho especial e os olhos ficam mais sensíveis – daí os óculos de lentes amarelas, comprados na loja do chinês.
O efeito mais notável é a hipersensibilidade do tacto. Qualquer toque no corpo, sob o efeito do ecstasy, provoca várias multi-sensações em simultâneo e ao mesmo tempo. As pessoas, incluíndo homens e tudo, tocam-se e abraçam-se como se todo o corpo fosse uma grande zona erógena. As mulheres, principalmente, falam do aumento do desejo sexual – uma sensação tornou o ecstasy conhecido como a “droga do amor”. Enfim… tudo ficará bem se houver uma torneira de água da companhia por perto.


Hallucinogen - L.S.D.
O ácido lisérgico teve sua explosão de consumo durante os anos 60, altura em que foi considerado "ácido da felicidade" pelos jovens da época, ou seja, os nossos pais. Diziam que o álcool matava e por isso deveriam consumir o L.S.D.
Era utilizada com o intuito de "aumentar o estado de consciência das pessoas em geral e de algumas em particular". As sensações apresentadas por viciados em L.S.D. passam pela perda do limite do próprio corpo e o espaço envolvente, impressão de que os odores podem ser tocados e que os sons podem ser vistos, sindroma do palhaço de classe média (alegria e tristeza simultâneos) e sensação de que se pode voar, mesmo sem uma toalha de mesa às costas a fazer de capa. Devido aos efeitos retroactivos, esta droga faz com que as pessoas fiquem presas nos anos 60 para todo o sempre. Muitas vezes esta droga é referida em conversações do dia-a-dia, tais como “Fui ao hipermercado e tinham lá um ecrã gigante LSD, mesmo barato”.

16 comentários:

Gnome disse...

eheh, excelente post, cá por mim prefiro BENZIN dos Rammstein :)

Mat disse...

Falta cocaine de J.J. Cale.

João disse...

Pronto, lá vem ele... é que nem é capaz de dizer uma palavra de encorajamento ou de felicitações que seja! É logo "falta isto", "falta aquilo", "não sei quê está mal"... Apre!

Mat disse...

Não leves a mal, João, é uma crítica construtiva.

Sacrilegius disse...

Também a J Pimenta era construtiva e olha o que lhe aconteceu.

João disse...

Mas quem é raio é a J Pimenta!? Parem imediatamente de falar de pessoas que eu não conheço! Ouviram!? Já!

Sacrilegius disse...

Para África em força! Já!

Já ouviste falar na África ?

Eu já. Já lá estive e não era surdo.

Pedro disse...

Quem gosta de Africa é Toto.

Sacrilegius disse...

Toto quê ? Loto ? Bola ?
E como é que se lê ? Tôtu ?

Anónimo disse...

LSD25 dos ena pá!!!!
F

nhua disse...

Olha, vim aqui e fiquei maravilhada com o humor misturado com coisas serias!!
Parabéns!

João disse...

Humor!? Qual humor? Isto para mim é assunto sério, as drogas e assim...

Pedro disse...

Realmente. Francamente. Olha qu'isto... enfim.

Anónimo disse...

estou com um grave problema.
estou agarrado a cocaina e so vejo a minha vida a andar para tras ao ponto de perder o que realmente amo na vida. parei e disse chega mas que e dificile. tomem me por exemplo nao se metam em dorgas todos os meses menos de 3ooo euros nao me chegam.abraço

Anónimo disse...

a droga ta me a matar

Anónimo disse...

tudo isto e uma droga.livre arbrito sua mente e o seu guia