9.3.06

Impossible is nothing!

Há muita gente que pensa que ser um anão nas Filipinas é lixado. Há também gente que pensa que ser um anão filipino com um corte de cabelo à Richard Clayderman moreno é ainda mais lixado. E quase toda a gente considera que ser um anão nas Filipinas e querer ser protagonista de filmes de acção é uma verdadeira utopia, assim um bocadinho como achar que, após a ingestão 78% do nosso peso em álcool, copular com a Céline Dion já poderá assumir formas de um acto minimamente prazenteiro. Não assume. Seja como for, Weng Weng é prova viva que não tem que ser obrigatoriamente lixado ser um anão filipino. E que essa existência, a de anão filipino, não é automaticamente significado de ostracismo da industria cinematográfica dos filmes de acção sem qualquer tipo de orçamento.

Com 84 centímetros de altura, o mirrado filipino berrou pela primeira vez em 1952, junto aos campos de arroz onde a mãe trabalhava, na pitoresca cidade de Davao. Terá dado início à sua frutuosa aventura na sétima arte com a entrada no lubrificado mundo da pornografia, ou seja, começou como toda a gente, que isto de ser pequenino não garante passagem de etapas de formação artística. A sua grande oportunidade – de deixar de ter cavalos, hermafroditas e manequins de látex como companheiros de cena, entenda-se – surge em 1979, ano em que é convidado para dar vida ao Agente 00, em “For Your Height Only”, o qual veio a encarnar uma segunda vez em 1982, em “The Impossible Kid”. E, efectivamente, foi na pele de 00, um agente letal e perspicaz, mas também um homem de emoções e com o dinamismo sexual de um martelo pneumático, que Weng viveu o seu zénite cinematográfico. Sinceramente, ainda não existem palavras para classificar estes dois filmes, sobretudo o primeiro, onde, por exemplo, um chapéu-de-chuva amarelo chega a ser usado, com o maior dos à-vontades, tal e qual como se fosse uma AK-47, para, mais tarde, já ser usado por Weng Weng, qual Mary Poppins, como pára-quedas. Por isso, o melhor mesmo é deixar em aberto a possibilidade de se apreciar um pequeno trailler.

Importa é focar a moral que se retira de tudo isto. Weng Weng soube esperar. Esperou pela sua oportunidade. Não quis ser engolido pela voragem de papéis padrão que a máquina do cinema consagrou aos anões. Não se rendeu aos chamamentos para vestir um fato de E.T., de Alf, ou de um dos robots gay da Guerra das Estrelas. Nem para fazer de Toy na Ilha da Fantasia ou de Oompa Loompa naquele filme sobre o Michael Jackson se fosse dono de uma fábrica de chocolates. Esperou, isso sim!, pelo seu sonho. Esperou que o chamassem para fazer de James Bond filipino! Porque é para agredir outros homens com pontapés no escroto, usar metralhadoras e comer gajas que se escolhe a profissão de actor, caraças!

Também é verídico que Weng teve a sorte de nascer num país tão liberal como as Filipinas. Infelizmente, Portugal, como em muitas outras áreas, ainda está uns bons furos abaixo daquele país asiático, que, por exemplo, detém o actual recorde mundial de crianças encarceradas e o de maior número de crianças a lavar os dentes ao mesmo tempo. E é particularmente triste perceber que, enquanto por lá, os anões podem vingar como protagonistas de filmes de acção, por cá, o único anão actor está condenado a imitar o Gato Fedorento mais alto num anúncio a um crédito bancário e a ir, de vez em quando, ao Herman falar duma peça de teatro que ninguém vai ver. Ninguém pensa nele para saltar de Renaults 5 em chamas, nem para ganhar uma luta em tronco nu ao Joaquim d’Almeida, e muito menos para chafurdar no mamaçal da Alexandra Lencastre. Porque é que tem que ser assim? Não tem, caro único actor anão em Portugal! Não tem…

11 comentários:

Lala disse...

Não estou a perceber. Ainda ontem dizias que o PPortas é baixinho, e agora defendes o desempenho sexual do anão?

João disse...

Também foi ele que fez de Joselito naqueles filmes dos Cavalos. Chamavam-lhe o "voz d'oiro".

K1111 disse...

Vendo esta ultima fotografia axo que o sr anão terá sérias possibilidades na industria musical como rapper. Bling Bling, classe e roupas XL já tem.

Sea disse...

Pois... em Portugal passam-se coisas muito estranhas. Bom é ser um/a grande cromo/a

João disse...

Aquilo não é roupa XL, nem é para estilar junto às damas. Um tamanho S para adulto equivale a um XL para anão.
É que há anões q n querem sentir-se diminuidos e ir comprar roupa a lojas de criança.

K1111 disse...

Já calculava... embora não tenha muita experiencia como anã supus que o S fosse precisamente grande demais, até porque n faria sentido nenhum o senhor comprar roupas XL já que assim apenas veriam uma espécie de tenda a andar na rua e isso deve ser prejudicial para a carreira cinematografica embora se torne um bom truque para evitar paparazzis

pedribeiro disse...

Ele até se parece com o Stallone!
Só que mais baixo e mais sujo... Se calhar num daqueles dias na selva que chuve e fica um lamaçal do caraças!

Joel disse...

estou confuso quanto à questao do tamanho de roupa para anoes... uma la redute "especial anao", facilitava a vida destes pequenos artistas.

Pedro disse...

Sei de fonte segura que os anões usam as roupas do Ken. Por isso, é que só têm smokins e camisas havaianas. Além de, claro, terem uma colecção absurda de Kens nus.

Anónimo disse...

Very nice site! »

Anónimo disse...

This is very interesting site... isuzu amigo wheel alignment spec aluminium fishing boat Microsoft training software Registered+nursing+online+schools drug vicodin tablet http://www.renault-laguna-facelift.info/mcaffee-antivirus.html http://www.finance-mcse.info/mcse-2000-training.html Office world stationery Animal surveillance program video card 1920x1080 Car seat cover character Proactiv for sale in mississauga Shemales megs mcse ttaining chicago