20.8.07

A legendária lenda d´O Gémeo Malvado III

- “Xisa Oaoj! Não aguento esse cheiro ao bedum aqui, até parece que uma manada de brontossauros andou a defecar aqui...”
(nota do autor: o bedum dos brontossauros cheirava muito mal devido ao tamanho.)
O Oaoj corou...
- “Fostes tu, meu badalhoco?” perguntou o seu irmão com revolta”
- “Eu comi uma feijoada ao almoço, mas isso não quer dizer nada, já que temos o aparelho digestivo em comum.
- “O que? Não quer dizer nada?! Eu não aguento mais isso...” e o Ordep começou as cabeçadas com o seu irmão. E este respondeu-lhe da mesma forma.
Andaram as cabeçadas dois dias e duas noites, até que o Oaoj faleceu. O Ordep era de facto melhor cabeceador, tinha jogada nas camadas juvenis do Sporting.
Deixou de ter irmão, mas em contrapartida tinha ganho a sua liberdade.

Quando os vizinhos lhe perguntaram porque é que o seu irmão andava tão calado, o Ordep retorquia que ele tinha mordido a língua com muita força e que ficou sem ela.
Uma desculpa manhosa porque o corpo do seu irmão começou a apodrecer e a deitar um cheiro nauseabundo. Inventou então uma outra...que o irmão tinha apanhado lepra. A lepra, estimados leitores, apanhava-se nesses dias como hoje em dia se apanha uma constipação. Há obviamente diferenças: quando se tem constipação e se tosse saem alguns micróbios, com a lepra saem algumas partes do corpo.
Mas como o corpo do irmão, que estava pendurado ao seu próprio corpo, estava a apodrecer; partes do corpo do Ordep também começaram a ganhar bolor e a cair.
Lentamente e aos bocados o corpo dele estava também a ficar sem vida. Um dia, caiu lhe mesmo a cabeça e o gémeo malvado deixou de estar entre os vivos.
Aqui não acaba esta legendária lenda, porque não se sabe como, a hostilidade entre irmãos gémeos veio para ficar. Os milhares de gémeos do reino inteiro começaram a pancadaria.
Até que um dia chegou ao país, no seu cavalo branco com asas, um semideus de nome Tam. Perguntou a um dos populares ou que se passava no pequeno reinado.
- “Diz-me, caro ferreiro, porque é que toda gente anda a cabeçada?”
- “Estamos fartos de ter os nossos irmãos gémeos aprisionados ao nosso corpo e de os ter que aturar, ò nobre semideus” respondeu-lhe o ferreiro que tinha a cara coberto de sangue e miolos.

O meio deus lançou então um feitiço poderoso e separou todos os gémeos de todo o mundo. Desde então nunca mais houve gémeos siamêses na terra, ou quase nunca; porque o semideus Tam tinha passado a rasquinha na disciplina de feitiços na escola dos semideuses.

Pode acontecer ou já talvez aconteceu, estimado leitor, que encontra uma pessoa em tudo muita parecida consigo. Fica então a saber que, se não tivesse havido o feitiço do glorioso Tam, talvez essa pessoa poderia ter sido o seu irmão gémeo siamês. Dá que pensar, não?

FIM

8 comentários:

Mat disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mat disse...

Falta dizer que já fui contactado pelos grandes estúdios de Hollywood, para transporem esta grandiosa historia para a tela branca. Estou a pensar no Brat Pitt para o papel do Tam e Forrest Whitaker mais Steve Buscemi para os papéis dos gémeos.

coelho dos relógios disse...

Quando é que estreia mesmo?

Å®t Øf £övë disse...

Há já algum tempo a esta parte que sou visitante diário deste vosso espaço. Hoje resolvi deixar sinais da minha passagem por cá, para vos entregar o selo de "Blog Cinco Estrelas" dentro do ambito do "Blog Day" que se aproxima. Se quiserem passa lá no ATORDOADAS para ficarem a saber mais sobre esta iniciativa.
Bom fds.

é anónimo, pá! disse...

muito profundo...
a beleza e a mágica da mitologia em português.

Anónimo disse...

Thank God it ended... finaly!

Mat disse...

Visitante diário do nosso espaço?!? Caramba, é preciso coragem!

Mat disse...

"Thank God it ended... finally!"? This legendary legend was especially written for children, not for English speakers, dude!